• Gustavo Sette

Tudo bem se eu quiser ser um sucessor estilo "Príncipe Charles" ?

Respondi a essa interessante questão de um sucessor de 47 anos nesse breve vídeo.






Ser um Príncipe Charles é assumir a cadeira de "número dois" pelo tempo que for necessário. É esperar a sua vez e achar bom, mesmo que leve 15 minutos ou 50 anos.


Se for uma decisão consciente, tudo ótimo. A figura de "número dois" é muito presente no mundo dos negócios, dos esportes, das artes e na própria vida, e é nobre, importante e honrosa. O problema é não estar bem com isso.


O número dois precisa se preparar para, um dia, assumir a liderança: coletar as informações necessárias, combinar como será o jogo com seus futuros sócios, empregados e preparar-se para uma transição rápida para uma cultura totalmente diferente.


Por fim, provoco a reflexão de que o número dois precisa ter um plano B, pois na vida existe o inesperado, o imprevisível, o imponderável. Sucessores costumam viver em uma bolha dentro da família, mas defendo que algumas questões e competências são indelegáveis. Investimentos, advogados, conhecimentos básicos de questões legais, patrimoniais e sucessórias, entre outros.


O Príncipe Charles não precisa de um plano B pois pode escolher em qual castelo vai passar um período de melancolia, mas esse é um luxo impensável a nós, pessoas normais!


Espero que gostem do vídeo e continuem a mandar perguntas e artigos que merecem comentários.

1 visualização0 comentário