• Gustavo Sette

Que cuidados a família empresária deve ter ao contratar um consultor?

Temas complexos vividos pelas empresas familiares, tais como sucessão, governança e gestão de conflitos, trazem desafios enormes tanto para o consultor quanto para a família.

Alguns deles:


  • O dono da empresa estava mesmo aberto a contratar uma consultoria, ou fez um “faz de conta” só para ceder a uma insistência dos outros?

  • Consultores trazem fórmulas prontas, produtos de prateleira, o que acaba não gerando as reflexões e mudanças necessárias.

  • Por ter medo de quem o contratou ou do dono da empresa, o consultor não consegue mexer no que precisa ser mexido e nem fazer um processo de fato inclusivo.

  • Famílias querem resolver todos os problemas de uma vez, como em um passe de mágica.

  • O projeto fica pronto, mas acontecem falhas na execução e o combinado não sai do papel.


Nessa conversa com Adriana Netto, concluímos que, em todos esses aspectos, a responsabilidade de levar o trabalho para o caminho certo é do consultor, mas aí entra uma grande questão: o medo de perder o contrato, ou ainda de perder tempo para o próximo cliente.


A família precisa fazer um bom processo seletivo de seus consultores, e é fundamental avaliar a promessa feita pelo consultor. Trabalhos muito fáceis, harmônicos e que parecem muito previsíveis não são um bom sinal.








2 visualizações0 comentário