Pais devem tornar-se desnecessários. E os filhos?

Em um bonito artigo no Estadão de ontem, Leandro Karnal defendeu que o sucesso de professores e de pais é atingido quando tornam-se desnecessários aos seus alunos – ou filhos.




Algumas frases que resumem a ideia:


  • Uma pessoa que ensina é uma pessoa que liberta.

  • Os filhos vieram através de vós, mas não vos pertencem.

  • O objetivo do amor é libertar e devolver a vida, autônoma.

  • Meu supremo triunfo é me afastar e não ser mais importante, o que é uma meta elevadíssima.


O problema é que, em muitas famílias, na prática a teoria é outra. Particularmente em famílias empresárias, a empresa (ou o patrimônio) é, muitas vezes, o membro mais importante da família, e usado, conscientemente ou não, para tornar os filhos dependentes. Por qual motivo? Karnal explica: “dali em diante, ser útil é um desejo do meu narciso, uma ferida da minha vaidade”.


Karnal fala do objetivo dos pais e o quanto é difícil para eles, mas não fala dos filhos, que também encaram um desafio complexo: procurar a sua independência e a construção de sua própria história. Isso não significa necessariamente deixar de trabalhar nos negócios da família, mas sim que isso seja fruto de uma escolha consciente.


O herdeiro / sucessor só encontrará a felicidade se tiver a capacidade de levar a vida que se quer, e meu trabalho atual é ajuda-los nessa dificílima tarefa.


Artigo de ontem (11/4/2021) do jornal Estado de S. Paulo.

53 visualizações0 comentário