Os herdeiros que trocaram bilhões pela paz

Imagine ver o lançamento de mais um livro para falar mal de sua família. Em síntese, uma família que enriqueceu ao criar um surto sem precedentes de consumo e dependência de drogas opioides e, para sair bem na foto, investiu pesado em filantropia, dando o nome a universidades, salas de museus, centros de pesquisa, galerias e outros.




Não vou julgar e nem resumir a história da família Sackler, mas sim comentar a decisão dos herdeiros de cair fora do negócio, mesmo antes de entrarem no ramo dos opioides.


Em 1987, Arthur Sackler, um dos 3 irmãos fundadores, morreu subitamente e deixou 4 filhos de casamentos diferentes. A disputa foi grande e seus filhos venderam 100% de suas participações por algo em torno de U$ 50 milhões em valores de 2021.


Mais de 3 décadas se passaram e a empresa da família tornou-se bilionária, mas odiada, perseguida e motivo de vergonha. “Como dinheiro de drogas custou a uma família o seu nome”.


Muitos chamaram os herdeiros de trouxas e seus tios de espertos pela negociação de 34 anos atrás, mas o valor herdado, dividido por 4 famílias, permitiu a todos viverem a própria vida, criarem a própria história e não participarem dessa fraude – que, mesmo assim, respinga em suas vidas.


Quando vejo herdeiros e sucessores pagando preços tão altos pelo dinheiro da família, me pergunto, em termos práticos, qual a diferença entre 10 milhões e 10 bilhões de dólares.


Os filhos de Arthur não fizeram um excelente negócio?


Financial Times, 03/5/2021

8 visualizações0 comentário