• Gustavo Sette

Executivos se demitem para repensar a carreira

Matéria do Valor mostra pessoas que chegaram a altos cargos e decidiram pedir demissão, mesmo sem ter outro emprego.




Algumas características comuns entre os entrevistados:


- idade rondando a faixa dos 40 anos, um momento em que a vida meio que te obriga a fazer um balanço da metade da trajetória.

- bom planejamento financeiro para suportar um período sem salário.

- personalidade e estabilidade emocional para trocar um cartão de visitas nobre para se dar um tempo.


Algumas frases interessantes dos entrevistados:


“A gente vai ficando mais maduro e vai se questionando sobre o que faz sentido para a nossa vida”.
“Com a pandemia, a ficha caiu”.
“De uns tempos para cá, percebi que queria ser mais protagonista da minha vida e fui me desvencilhando dessas amarras de que é preciso trabalhar muito”.

A maioria das pessoas vai vivendo a vida que seu meio social convida a viver, sem questionar muito se aquilo faz sentido e, um belo dia, o questionamento chega.


Trabalhando com jovens executivos em busca de ajuda para pensar o futuro, vejo dois mitos muito comuns: o primeiro é o “preciso encontrar o meu propósito”. Prefiro o verbo “construir”, pois “encontrar” fica parecendo algo místico, escondido em algum lugar. O segundo é o desejo de fazer um plano super detalhado, com datas e etapas claramente definidas... Mas a vida não é bem assim.


Gosto de orientar as pessoas a pensar em uma visão de futuro em linhas gerais, focada no que a pessoa valoriza e que tipo de vida quer ter, mas sem a rigidez que inibe mudanças de rota.


Seja como for, o importante é pensar no assunto.


5 visualizações0 comentário